O setor da Pesca quer ser um agente ativo no combate à pandemia

A Associação Nacional das Organizações de Produtores da Pesca do Cerco – Anopcerco enviou no dia 18 carta ao Senhor Ministro de Mar com as preocupações do setor em consequência do surto epidemiológico provocado pelo COVID-19. Solidária com as medidas já anunciadas para contenção do virús, a Anopcerco alerta contudo para outras medidas necessárias, que, no seu entender, ajudarão o setor a continuar a ser um dos garantes de apoio às famílias e populações “para assegurar um bom abastecimento de produtos alimentares essenciais para os portugueses, ao longo dos próximos meses”.

Para além das medidas já anunciadas de combate à contaminação preconizadas pelo Governo, nomeadamente no funcionamento dos Portos e Lotas, levadas a cabo pela Docapesca (ver notícia neste site), considera que será necessário também:

  1. Garantir a existência de uma cadeia de abastecimento estável com as redes de distribuição e outras áreas comerciais de pescado e que, de uma forma muito clara, garanta a justa valorização do pescado capturado.
  2. Suspensão temporária de algumas ou de todas as taxas que estão associadas à atividade das embarcações.

A Anopcerco justifica assim a sua iniciativa: “Nestes tempos de risco e de incerteza, a atividade da pesca deve ser reconhecida como um parente nobre na construção das soluções de combate à pandemia que nos ameaça. Entendemos que devem ser dados sinais claros nesse sentido, com a maior rapidez possível.”

Ver Comunicado aqui.

Imagem de CARLOS BARROSO/LUSA

Imagem de CARLOS BARROSO/LUSA

Print Friendly, PDF & Email