Aumento da quota de sardinha até 31 de julho

Disponibilizado o Despacho governamental de 22 de maio

A pesca do cerco à sardinha por Portugal e Espanha tem motivos para respirar de alívio com o aumento fixado para 9500 toneladas para o conjunto dos países até ao final de julho. Um aumento que vem reconhecer as melhorias que têm vindo a ser anunciadas pelos dirigentes das organizações ibéricas, com a aplicação do plano de recuperação conjunto desta espécie, e uma tendência que o setor espera que se confirme durante o resto do ano.

Nas palavras do Senhor Ministro Ricardo Serrão Santos “Este valor é gerido em conjunto com Espanha e em planos plurianuais. A sardinha esteve em baixo recrutamento durante vários anos e chegou a ter aconselhamento de zero captura, mas o plano de recuperação que lançamos veio a provar-se justificado, permitiu continuar a pescaria com valores confortáveis e agora nota-se que o recrutamento aumentou”, afirmando ainda que novas oportunidades poderão surgir no mês de julho.
Aos pescadores portugueses caberão então 6300 toneladas de sardinha até ao final de julho, com o início da safra previsto para o início de junho, enquanto em Espanha já iniciou a 1 de maio.

Perante a expetável redução da procura, com os anunciados encerramentos dos Santos Populares, época de ouro do consumo de sardinha, quer no Norte quer no Sul do País, a sardinha continuará a ser escoada para a industria das conservas, que segundo a Anopcerco, desde há praticamente cinco anos não se abastecia em Portugal, pela falta de sardinhas. Um bom sinal nos tempos que se vivem, onde a reativação dos mercados internos é tão importante para o renascimento da economia nacional.

As organizações e os pescadores receiam ainda a possível quebra de preços (na 1.ª venda), e perante todas as incertezas fazem o apelo ao consumo de sardinhas, ainda que em casa!

Apelo generalizado para todas as espécies nacionais!

Fontes: LusaAnopcerco – citando Renascença, TSF.

Despacho que regulamenta a abertura da safra da sardinha e fixa as quantidades máximas de captura entre as 00:00 horas do dia 1 de junho até às 24:00 horas do dia 31 de julho de 2020.
Imagem: LUSA/José Sena Goulão

Imagem: LUSA/José Sena Goulão

Print Friendly, PDF & Email