Revista Marés

Mares_73-1 Já saiu o novo número da Revista Marés, a edição de Dezembro/15, N.º 73.

Em breve poderá encontrá-la na nossa rede de balcões, portos e portinhos.

Em destaque neste número:
– Segurança Marítima
– IX Encontro do Grupo Mútua
– Entrevista ao Provedor do Utente da Mútua dos Pescadores

Ainda poderá encontrar outros artigos nas habituais secções: Notícias, Atividade Seguradora, Pesca, Cultura Costeira, Setor Cooperativo e Social, Da Mútua.

Para consultar a edição online da Revista “Marés” clique aqui.

 

Print Friendly, PDF & Email

Revista Marés

Nova Edição da Marés! Download  Nº90

Nova Edição da Marés, número 90, em circulação!

A nova edição da Marés destaca um dos problemas mais prementes do setor da pesca, que é a instalação de eólicas no mar, numa extensão de mais de 3000 km2 ao longo da costa, que põe em causa as zonas de pesca, questionando-se a pertinência desta estratégia em nome da sustentabilidade.

No Editorial, assinala-se o contexto complexo que se vive, no plano internacional, com as guerras que assolam o mundo, e no plano nacional, a falta de respostas às reais necessidades das populações. A Mútua em particular continua a responder ao que lhe é exigido e a estar presente nas comunidades, não obstante as dificuldades e exigências cada vez maiores da atividade seguradora. Regista-se com pesar o aumento da sinistralidade e 3 mortes. As Jornadas do Grupo realizadas em Sines (objeto de artigo nesta edição) recuperaram a tradição interrompida pela pandemia, e revelam uma organização viva, dinâmica e com futuro. Um futuro que se garantiu ao longo de gerações, de que Frederico Pereira, dirigente da Mútua, falecido em setembro, foi um dos mais emblemáticos representantes.  Por fim um registo sobre a pesca, que passa por grandes dificuldades com a falta de mão de obra no topo das preocupações, com a perspetiva da instalação das eólicas como uma nova sombra sobre o setor, a juntar-se às fragilidades já existentes.

Para o desenvolvimento do tema de capa desta edição “Energia renovável a que custo?” convidámos as organizações ambientalistas para uma reflexão sobre o tema, a ADAPI – Associação dos Armadores das Pescas Industriais, e também o Conselho de Administração da Mútua, que colhe a sensibilidade de diversos tipos de organizações do setor da pesca, foi chamado a pronunciar-se sobre o tema.

As organizações ambientalistas ANP, SCIAENA, SPEA e ZERO, não obstante concordarem com o princípio geral de desenvolvimento das energias renováveis, lamentam o modo como o processo tem decorrido sem o seu envolvimento (bem como da pesca e academia) sendo “fundamental que este desenvolvimento se proceda a par com o devido respeito pela conservação da natureza, de forma a cumprir os compromissos assumidos para travar a perda de biodiversidade e de acordo com as capacidades ecológicas dos ecossistemas.”

A ADAPI não tem dúvidas de que este é um processo que não traz quaisquer garantias para a sustentabilidade, e com muitos riscos para a pesca e ecossistemas, recordando que o próprio Parlamento Europeu, na sua Resolução de 7 de julho de 2021 “alerta para o facto de as energias renováveis marítimas apenas serem sustentáveis se não tiverem um impacto negativo no ambiente ou na coesão económica, social e territorial, especialmente nas regiões dependentes das pescas”.

A Mútua por seu lado, corrobora estes alertas, estando desde março deste ano empenhada em alertar e sensibilizar para estes riscos em diversos fóruns, considerando esta, mais uma página na “crónica de uma morte anunciada” do setor da pesca. “Mais conhecimento, informação e proximidade precisam-se. Serão passos fundamentais para ganhar a confiança das pessoas, bem como o nosso futuro coletivo, em qualquer dimensão que seja”.

Nesta edição a Mútua continua de Parabéns, desta feita pela medalha de mérito municipal recebida pela Câmara Municipal de Vila do Conde, “pela relevância demonstrada nos seus percursos e pelo seu inestimável contributo para a elevação do nome de Vila do Conde” (notícia na página 12). Foi também este ano que o Grupo Mútua retomou a organização das sua Jornadas de trabalho, decorridas em Sines, em Outubro, evidenciando a resiliência de uma organização que tem sabido acompanhar os tempos, sem perder a sua identidade, história e memória (notícia na página 14).

Destaca-se ainda nesta edição a nova rubrica “Coisa singelas dos navios e do mar” pelo Comandante António São Marcos, que irá ajudar-nos, edição a edição, a melhor compreender o rigor da terminologia técnica e vários aspetos associados às embarcações e aos sinistros marítimos, entre outros tópicos que abordará. Para descobrir na página 20.

Homenagens

Despedimo-nos com profundo pesar de Frederico Pereira, dirigente da Mútua e grande ativista sindical pela defesa dos trabalhadores da pesca, que faleceu em setembro, deixando uma marca profunda em todas as organizações que serviu (artigo na página 6).

Homenageamos também António Alves Cabrita, antigo pescador dos bacalhoeiros e autor do Livro “Diário de um pescador do bacalhau”, uma obra que a Mútua acarinhou desde a primeira hora (artigo na página 9).

Aos familiares e entes queridos de ambos enviamos as mais calorosas saudações.

Agradecimentos: A Marés contou como sempre com a colaboração de diversas pessoas e entidades que garantem edição após edição a continuação deste projeto. Nesta edição, para além dos autores dos artigos e das pessoas, organizações e entidades referenciadas, o nosso agradecimento à Docapesca, e aos anunciantes presentes: Seatec, Ad Mare Solutions e Furuno.



Consulte os números passados:

Print Friendly, PDF & Email
Print Friendly, PDF & Email